segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Natal

Então, é Natal. Seu “espírito” já está por toda a parte. Os shoppings estão todos enfeitados, os edifícios também. Na TV, as propagandas só falam disso. E ainda têm a coragem de passar aqueles filmes natalinos de sempre, pra encher linguiça na programação. E os noticiários exibem suas reportagens apelativas, repletas de “boas intenções”.

E daí? Confesso que para mim isso é muito chato. Não gosto de Natal. Não sei o porquê, mas é assim desde pequeno.

O que mais me irrita nessa época é a hipocrisia institucionalizada. De repente, como em passe de mágica, todos são amigos de infância. E o pior; ter de sorrir para não estragar o Natal de ninguém. Solidariedade e amor ao próximo devem ser praticados o ano inteiro, não em alguns dias apenas. O resto é conversa fiada pra aquecer o comércio.

Tem uma pessoa que gosto muito que definiu muito bem o sinto:
- Gostaria de poder dormir no dia 23 e acordar só no dia 26...
Ah, seria ótimo!

Simples desse jeito. Pode parecer ranzinza de minha parte, mas é assim. Aqueles que gostam, que sentem o espírito natalino presente em seus corações, que me perdoem a sinceridade. E que tenham, sim, um Feliz Natal.

Um comentário:

Montanha disse...

Como vimos no ano passado, o Natal é apenas uma estratégia para o real aquecimento do mercado. É apenas uma data criada com o intuito de lucrar, lucrar e lucrar. Na realidade, este espirito natalino deveria ser todos os dias do ano. No dia 26, todos esquecem da "magia" e já pensam no agito do ano novo e carnaval. Infelizmente, aquele pensamento "fraterno" termina junto com o panetonne e o pernil. A arvore? Segundo a tradição, temos que desmontar no dia 06 de janeiro, em plena ressaca....