domingo, 6 de dezembro de 2009

Consciência Ambiental

Nesta segunda começa a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, em Copenhague, Dinamarca, reunindo líderes de 193 países. Lá, será decidido o futuro climático do mundo, o que cada país fará para que não entremos em um colapso eminente. Ou, o sacrifício que cada governo está disposto a fazer para isso. Há 12 anos, em Kyoto, os países mais poluidores (EUA, China, Rússia) simplesmente ignoraram as metas estabelecidas e o resultado está aí.

Afinal, muitos interesses econômicos estarão em jogo também. Devemos acompanhar com atenção. Mas, não só. A nobre conferência dos próximos dias poderá definir grandes metas macro, que nos afetarão a médio e longo prazo. Então, cabe a nós, cidadãos conscientes, iniciar e disseminar um processo de mudança de comportamento e mentalidade ambiental, com pequenas ações em nosso dia-a-dia.

E não é tão fácil como parece. Vivemos na maior cidade do hemisfério sul, onde nem todos possuem acesso aos principais itens de saneamento básico. Onde a coleta de lixo seletiva ainda é insignificante. Onde muitos ainda jogam lixo nas ruas, nos córregos e nos rios. Onde boa parte das pessoas simplesmente não se interessa por estas questões. Onde não existe, por parte dos governantes, um comprometimento com esta causa.

Devemos começar por nós mesmos. Como exigir atitude das pessoas e dos governos, se não agimos de acordo? Se ainda entupimos o meio ambiente com sacolinhas de plástico? Se consumimos produtos que agridem o meio ambiente? Além de investir em campanhas que façam com que as crianças também se interessem e participem mais. Na escola onde trabalho pouquíssimas professoras fazem isso.

Então galera, seria muito importante que no final da Conferência de Copenhague, um novo modelo de desenvolvimento ambiental comece a ser implantado. Com a nossa contribuição a partir de agora.

Um comentário:

Montanha disse...

Que cada brasileiro tenha consciencia e respeito sobre o meio ambiente e suas normas. Estamos atrasados, mas, nunca é tarde para aprender. Em relação as sacolas de plásticos, os mercados ainda não fizeram nada para mudar este processo. Isto é uma vergonha. Salve Bóris.....

Montanha