sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

O que fará Obama?

Primeiro texto de 2009. Um ano que já começou em guerra. Em todos os noticiários, o assunto é a brutal invasão de Israel à Faixa de Gaza. Não se justifica o uso de tamanha força a um inimigo com um poder bélico tão desproporcionalmente inferior. Não quero discutir quem são os verdadeiros donos daquele duro e árido pedaço de terra. Se Deus ou Alá. Muito menos quem atirou primeiro.

O atual presidente americano já manifestou seu apoio total e irrestrito ao exército israelense, como já se esperava. Já sabíamos, também, que a desacreditada ONU, em um gesto tucano, ficaria em cima do muro.

Até agora, Obama pouco falou. Está cauteloso. O que fará ele com este primeiro abacaxi internacional que terá de descascar? Será tudo aquilo que se espera dele? Ou, ele é apenas a outra face da mesma e desgastada moeda? Seria Barack Obama apenas um produto de marketing criado para limpar a barra yankee, completamente suja após oito anos de trapalhadas cometidas por Bush Jr?

Talvez não. Ele parece consciente do peso que carrega. O peso de milhões de acorrentados em navios fétidos vindos do continente negro. O peso do lamento blues nas plantações de algodão do sul dos EUA. O peso dos excluídos do sonho americano. Ele sabe que nunca alguém de sua cor chegou tão alto.

O que se espera dele é que acabe com esta guerra estúpida, que cancele o embargo econômico à Cuba, que corte os gastos do orçamento bélico americano, que comprometa-se em acabar com o genocídio de fome e AIDS na África de seus ancestrais, que assine o protocolo de Kyoto. Ele sabe que se fizer tudo isso pode provocar a ira dos ultraconservadores e acabar com uma bala na cabeça.

Talvez Obama não tenha a coragem e competência necessárias para promover tais mudanças. Ele não é o salvador da humanidade, como tentam mostrá-lo. Não se pode cair nesta armadilha. Mas, aparentemente, é mais inteligente, maleável e tolerante que seu antecessor – o que não é muito difícil. Pode ser o início de uma era com menos armas e mais diálogo. O que já seria um grande avanço.

4 comentários:

Thiago Augusto disse...

estou esperando seus textos ... vamos colocar no instinto coletivo s.a. também! precisamos fazer com que ele vire um centro de debates!

abraço

thiago

Thata Diacronia disse...

Calma, vamos esperar e confiar nele. O mandato está apenas começando.

b-joaks

Montanha disse...

Parabéns pelo texto, genial. O jeito é esperar para comprovar, Palavras pensadas, retórica belíssima, argumentos fortes, diretas e uma votação surpreendente: Obama

Vamos esperar.

João, muito bom mesmo este texto, parabéns!!!

Montanha

Daiane Torres disse...

Acredito sim em boas mudanças, e apesar do "Salvador" que pintam, ele vai enfrentar muitas turbulências... obrigada pela visita..bjs